sábado, dezembro 27, 2008

Instante



Alinhar ao centro

"Ninguém pode conviver sozinho com a beleza que é capaz de perceber. E quanto a nós, que buscamos o Absoluto, e que construímos um jardim usando a nossa própria solidão, a Vida deixou-nos a imensa paixão para aproveitar cada instante, com toda a intensidade."

Cartas de Amor ,
Kahil Gibran


quinta-feira, novembro 20, 2008

TRANSIÇÃO






NONEVENTS TRANSITIONS

Tal como o próprio nome indica ausência de acontecimentos!


Existem 3 tipos de transições:

Previsíveis/Esperadas

Imprevísiveis/Inesperadas


Ausência do acontecimento


Questão nº1: Porque será que a minha vida está repleta de ausência de acontecimentos nos mais diversos níveis... ;

Questão nº2: Porque será que estou quase, quase conformada e acaba por ser prevísivel;

Questão nº 3: Que é feito de mim ser socialmente activo a explodir de afecto;



Não sei ... simplesmente não sei!!! Onde estou, onde estás?


segunda-feira, setembro 29, 2008

Gestos





Restroom Door Romantic by_ExCom


Tenho saudades dos pequenos gestos da adolescência... que se tornavam grandes gotas de azul. Momentos inesquecíveis! Irei eu alguma vez conhecer o amor incondicional? Sinto que os melhores anos da minha vida estão a passar. E eu não tive direito de partilhar o que existe de mais precioso nesta vida. Não estou ansiosa, apenas nostálgica. O que quer que a vida me reserve, agradeço que seja mesmo VIDA!


Quando se fecha uma porta...




The Door by Genocide Evil


Luta-se para que se abra uma janela!

A sorte resulta da fusão da oportunidade com a preparação.

Preciso de oportunidades!



quarta-feira, setembro 10, 2008

Setembro





Rise by Mortalitas



Setembro traz dias de tranquilidade


Dias de prazer, dias de lazer, dias de paz!


Abasteço energia para a nova etapa.




Que venha a próxima vindima!


domingo, agosto 24, 2008

Quase ... quase!


Os dias prósperos não vêm acaso; são granjeados, como as searas,

com muita fadiga e com muitos intervalos de desalento.

(Camilo C. Branco)





Não importa o tamanho da montanha, ela não pode tapar o sol.

(Provérbio chinês)




Consciência da Não-Vida



Um olhar sobre um mar de inquietações e sonhos



"Toda a noite, e pelas horas fora, o chiar da chuva baixou. Toda a noite, comigo entredesperto, a monotonia liquida me insistiu nos vidros. Ora um rasgo de vento, em ar mais alto, açoitava, e a água ondeava de som e passava mãos rápidas pela vidraça; ora com som surdo só fazia sono no exterior morto. A minha alma era a mesma de sempre, entre lençóis como entre gente, dolorosamente consciente do mundo.

Tardava o dia como a felicidade - áquela hora parecia que também indefinidamente. Se o dia e a felicidade nunca viessem! Se esperar, ao menos, pudesse nem sequer ter a desilusão de conseguir. O som casual de um carro tardo, áspero a saltar nas pedras, crescia do fundo da rua, estralejou por debaixo da vidraça, apagava-se para o fundo da rua, para o fundo do vago sono que eu não conseguia de todo. Batia. de quando em quando, uma porta de escada. Ás vezes havia um chapinhar liquido de passos, um roçar por si mesmos de vestes molhadas. Uma ou outra vez, quando os passos eram mais, soava alto e atacavam.

Depois, o silêncio volvia, com os passos que se apagavam, e a chuva continuava, inumeravelmente. Nas paredes escuramente visíveis do meu quarto, se eu abria os olhos do sono falso, boiavam fragmentos de sonhos por fazer, vagas luzes, riscos pretos, coisas de nada que trepavam e desciam. Os móveis, maiores do que de dia, manchavam vagamente o absurdo da treva. A porta era indicada por qualquer coisa nem mais branca, nem mais preta do que a noite, mas diferente.

Quanto á janela, eu só a ouvia. Nova, fluida, incerta, a chuva soava. Os momentos tardavam ao som dela. A solidão da minha alma alargava-se, alastrava, invadia o que eu sentia, o que eu queria, o que ia sonhar. Os objectos vagos, participantes, na sombra, da minha insónia, passam a ter lugar e dor na minha desolação."

Paisagem da Chuva,
Bernando Soares, Livro do Desassossego

sábado, agosto 16, 2008

Scars



"The most authentic thing about us is our capacity to create, to overcome,

to endure, to transform, to love and to be greater than our suffering."


Ben Okri





"Out of suffering have emerged the strongest souls.

The most massive characters are seared with scars."

Khalil Gibran




terça-feira, agosto 05, 2008

Insónia





Lá fora existe um mundo inteiro que me espera ou não. Da janela sinto-me pequenina, eu diria minúscula. Vejo aos quadradinhos pequeninos, uma coisa de cada vez. Abro a janela e deixo que o vento me embale numa melodia saudável e harmoniosa. Apetece-me vida, apetece-me ir sem demora. Já se faz tarde. Mas ainda tenho que ficar, por pouco tempo mas tenho que ficar. Ouço vozes em tormento, vozes que soam simplesmente porque no silêncio a dor pesa mais do que partilhada. Preciso de ir e receio o que virá. Começar de novo, vezes sem conta. Conteúdos novos, custa! Mas não assusta. Estudar é-me essencial, aprender continuamente é-me instintivo e indispensável. Preciso de me sentir a evoluir, a desenhar um percurso mesmo que oculto. Da janela não vejo perspectivas, nem tridimensionalidade. Vejo o nada que é tudo. E está bem assim, a vida vai-se revelando aos poucos. A ansiedade que se revela... em determinado sentido trespassa-me insistentemente, insónia profunda que me tortura a cada acordar assustado. A dificuldade em acordar a cada dia que passa, o pesar dos dias. Vida onde andas? Porque demoras? Quem disse que és o principal responsável pelos teus passos, disse a verdade. Só que se esqueceu de acrescentar que determinados acontecimentos não se anunciam, nem batem à porta. Simplesmente existem ou não. E eu quero partir e encontrar porto seguro, quero que existas!


quarta-feira, julho 30, 2008

Manhãs de Setembro


Manhãs de Setembro,

aragem fresca

construindo sonhos,

teias de gotas

enfeitando os matos,

perfume verde

a seguir meus passos,

lírios roxos

ponteando as margens

do fio de água

que escorre manso.

E tu E eu!

E a erva tombada

pelos corpos,

os lírios violados

na paixão.

E o céu!

Esse céu azul

sem limite.

O nosso limite.

A nossa eternidade!


Helena Guimarães


terça-feira, julho 29, 2008

Perfect




There is no such thing as perfect person or perfect day!


Only perfect moments!!!





Relationship Issues



domingo, julho 27, 2008

Acuidade das sensações


"Dar a cada emoção uma personalidade,
a cada estado de alma uma alma.




De resto, com que posso contar comigo?


- Uma acuidade horrível das sensações, e a compreensão profunda de estar sentindo...
- Uma inteligência aguda para me destruir, e um poder de sonho sôfrego de me entreter.
- Uma vontade morta e uma reflexão que a embala..."



Espreito a realidade, como gato preto em sexta-feira treze.
E não me importa o que virá.

Só a sua demora.
Não receio a vida.



"Sento-me à porta e embebo meus olhos e ouvidos nas cores e nos sons da paisagem, e canto lento, para mim só, vagos cantos que componho enquanto espero."


Fernando Pessoa, Livro do Desassossego


quinta-feira, julho 24, 2008

Escada em caracol





Fábrica - Museu de Ciência Viva - Aveiro



É uma escada em caracol
E que não tem corrimão.
Vai a caminho do Sol
Mas nunca passa do chão.

Os degraus, quanto mais altos,
Mais estragados estão,
Nem sustos nem sobressaltos
servem sequer de lição.

Quem tem medo não a sobe
Quem tem sonhos também não.
Há quem chegue a deitar fora
O lastro do coração.

sobe-se numa corrida.
Corre-se p'rigos em vão.
Adivinhaste: é a vida
A escada sem corrimão.


David Mourão Ferreira

quarta-feira, julho 23, 2008

A...ZUL




Azul, o azul rouco, o azul sem cor, luz gémea da sede. Acerca deste rigor tenho uma palavra a dizer, uma sílaba a salvar desta aridez, asa ferida, o olhar arrastado pela pedra calcinada, húmido ainda de ter pousado à sombra de um nome o teu: amor do mundo, amor de nada.


Eugénio de Andrade, Contra a Obscuridade

segunda-feira, julho 21, 2008

Fim de Semana de Trauma...




Tauma...Taumatrópio! Assim é que é!

Tauma= Maravilha

Tropo= Efeito de Girar


Até fiquei zonza! 3 da manhã e a tontinha a fazer tauma ou trauma.




segunda-feira, julho 14, 2008

Waves, they crash as time goes by ...



Ooh, watching me
Hanging by a string this time
Don't, easily the climax
Of the perfect lie
Ooh, watching me
Hanging by a string this time
Don't, easily smile worth a hundred lies

If there's lessons to be learned
I'd rather get my jamming words
In first, so tell you something
That I've found that the world's
A better place when it's upside down, boy

If there's lessons to be learned
I'd rather get my jamming words
In first, so when your playing
With desire don't come running
To my place
When it burns Like fire, boy

Sweet about me
Nothing sweet
About me, yeah

Blue, blue, blue
Waves, they crash as time goes by
So hard to catch too, too smooth
Ain't all that why don't you ride
On my side of the tracks

If there's lessons to be learned
I'd rather get my jamming words
In first, so tell you something
That I've found that the world's
A better place
When it's upside down, boy

If there's lessons to be learned
I'd rather get my jamming words
In first, so when your playing
With desire
Don't come running to my place
When it burns like fire, boy.


Gabriella Cilmi,
Sweet about me




Ar condicionado






Que é como quem diz literalmente e não só!

Tolerância zero!


quarta-feira, julho 09, 2008

Escada NÓ





Inspirada na “Escada-nó”, do artista Michel de Broin.



Metáfora dos dias que correm!

"Esta fresta de nada aberta no vazio, deve ser um intervalo!"

António Gedeão




terça-feira, julho 08, 2008

Maria Paciência...




É uma caricatura feminina, da autoria de Bordalo Pinheiro, que corresponde a uma representação burlesca através da qual se satiriza de forma cómica.

De Maria Paciência todos temos um pouco...
Mas será que eu tenho paciência para aturar o pouco?
E o desatino de aturar o muito, o excesso também pesa.
8 semanas, contagem decrescente!


terça-feira, julho 01, 2008

BIPOLAR RAIN



Gene Kelly -Singing in the rain



Why am I smiling
And why do I sing?
Why does September
Seem sunny as spring?
Why do I get up
Each morning and start?
Happy and head up
With joy in my heart
Why is each new task
A trifle to do?

Because I am living
A life full of you.



Let it rain...







RAIN ON ME!


"A essência da ironia consiste em não se poder descobrir o segundo sentido do texto por nenhuma palavra dele, deduzindo-se porém esse segundo sentido do facto de ser impossível dever o texto dizer aquilo que diz."

Fernando Pessoa



segunda-feira, junho 30, 2008

A Formiga no Carreiro...





....vinha em sentido contrário!!!


Homenagem às minhas abelhinhas do dia-a-dia,
a abelha-mestra não é mestra mas desprezível e anda á roda da vida,
mas não nos apanha.
Porque ser livre é isso mesmo!
Cantemos portanto.




quarta-feira, junho 25, 2008

Sou-te, és-me.





Primeiro acto simbólico para te tirar daqui: Consegui! Apaguei a grafia digital que guardava como se fossem páginas de um diário ou páginas de uma história que se conta. Não sei se poderá chamar história. Não sei, o que me chamas. Não sou tua amiga simplesmente porque nunca deixaste. O que fui, sou ou serei para ti, conta! Pesa na balança a cada dia que passa. O silêncio e o não silêncio. Chamas-me pelo nome. Não, tu foste o único que usaste os diminutivos. Sabias que os diminutivos na maior parte dos casos são sinais de afecto? De proximidade? Apago-me ao mesmo tempo que te apago. Causa, consequência necessária e inevitável. Apago o visível porque o invisível não se apaga. Não se apagou em anos. Precisava de te tirar daqui, mas não consigo. És me intrínseco e extrínseco. Sou-te, és-me.

"Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?"


"Amo tudo o que foi
Tudo o que já não é
A dor que já não me dói
A antiga e errônea fé
O ontem que a dor deixou
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia."


Fernando Pessoa



terça-feira, junho 24, 2008

Time





A NOÇÃO DE TEMPO EM QUESTÃO



domingo, junho 08, 2008

Basta pensar em sentir




"Basta pensar em sentir
Para sentir em pensar.
Meu coração faz sorrir
Meu coração a chorar.
Depois de parar de andar,
Depois de ficar e ir,
Hei de ser quem vai chegar
Para ser quem quer partir."

Fernando Pessoa



p.s. Espero que um dia fiques algures... por sentir, por sorrir e chorar... depois de andar e que desejes sempre chegar depois de partir.



Se te aprendessem minhas mãos...






"Se te aprendessem minhas mãos, forma do vento

na cevada pura, de ti viriam cheias

minhas mãos sem nada. Se uma vida dormisses

em minha espuma,

que frescura indecisa ficaria no meu sorriso?

No entanto és tu que te moverás na matéria

da minha boca, e serás uma árvore

dormindo e acordando onde existe o meu sangue.

Beijar teus olhos será morrer pela esperança.

Ver no aro de fogo de uma entrega

tua carne de vinho roçada pelo espírito de Deus

será criar-te para luz dos meus pulsos e instante

do meu perpétuo instante.

Eu devo rasgar minha face para que a tua

se encha de um minuto sobrenatural,

devo murmurar cada coisa do mundo

até que sejas o incêndio da minha voz.

As águas que um dia nasceram onde marcaste o peso

jovem da carne aspiram longamente

a nossa vida. As sombras que rodeiam

o êxtase, os bichos que levam ao fim o instinto

seu bárbaro fulgor, o rosto divino

impresso no lodo, a casa morta, a montanha

inspirada, o mar, os centauros

do crepúsculo,

- aspiram longamente a nossa vida.

Por isso é que estamos morrendo na boca

um do outro. Por isso é que

nos desfazemos no arco do verão, no pensamento

da brisa, no sorriso deserto, no peixe,

no cubo, no linho,

no mosto,

no amor mais impossível do que a vida."



Herberto Helder, O amor em visita


quinta-feira, junho 05, 2008

Tenho em mim todos os sonhos do mundo...





"Que a força do medo que tenho,

não me impeça de ver o que anseio."

Oswaldo Montenegro


quarta-feira, junho 04, 2008

Um risco de azul...





"A profunda harmonia entre ela e o mundo - uma harmonia difícil, instável, porque ela insistia sempre em viver com rigor, com uma atenção que não afrouxava nunca, mesmo quando dormia - o rigor, por exemplo, com que domava ou desmanchava os sonhos, obrigando-se a lembrá-los, obrigando-os a saltar por dentro de arcos incendiados, as flores imaginadas formando finalmente um ramo, as flores de sombra, de sol, de areia, domar o vento, aprender a cavalgar o vento, pôr um risco de azul a contornar o mar, a dura acrobacia do seu corpo, ao mesmo tempo solto e geométrico, os difíceis exercícios interiores, os saltos mortais de olhos vendados sobre um fio de arame estendido entre o possível e o impossível."

Teolinda Gersão,

Os Guarda-Chuvas Cintilantes, 1984

.................................................................................................................

Excertos de uma noite de silêncio e de palavras vaivém-indecisas.



terça-feira, junho 03, 2008

Rain






A kiss could've killed me
If it were not for the rain
A kiss could've killed me
Baby if it were not for the rain

Scout Niblett, Kiss


Basta





No dia-a-dia acumulamos coisas por dizer, basta! Estou de copo cheio farta de que abusem da minha paciência e bondade. Farta de pessoas sem consciência que vivem literalmente à custa de chular os outros. Farta de pessoas imaturas que não sabem viver em grupo. Farta de egoísmos e caprichos. Farta de elas apenas olharem para o seu umbigo. Basta!


terça-feira, maio 27, 2008

Hello cookie!!



Goodbye cookie!

Metáfora de um episódio de vida: 5 minutos e 30 segundos e desapareces. Surreal! A não perder próximos episódios.

segunda-feira, maio 26, 2008

3 meses




Quase...quase! 3 Meses e contagem decrescente. Quase a acabar um semi-inferno para começar um novo inferno. Queira alguém que surja uma "hora mais pura" tal como disse a poeta sabedoria, naquele dia em que finalmente se entoaram hinos de liberdade e a livre expressão voltou às ruas. Queiram os deuses que o asfalto me conduza para terras de estudantes, que me corta a respiração estar longe de espirito jovem e de equilibrio.


"Levanta-se da mesa. Lá fora, num relógio qualquer, batem duas horas. Daí a momentos, daí a uma eternidade, levantar-se-á da mesa outra vez. (...) Mas não, a vida é longa, desliza e escorre sem uma quebra. Uma sucessão de acontecimentos, uma corrente sem fim de palavras ditas e de palavras poupadas. Dessas principalmente."

Maria Judite de Carvalho
As palavras poupadas, 1961


segunda-feira, maio 12, 2008

Muito mais que o SOL...



Sair de casa e saber o que vou encontrar

Sentir-me livre como uma folha com o vento a dançar
Ah eu não vou parar ...
Música para os meus ouvidos
Mel para o meu coração!






quarta-feira, maio 07, 2008

My blueberry nights




Elizabeth: How do you say goodbye to someone you can't imagine living without? I didn't say goodbye.
Elizabeth: I didn't say anything. I just walked away.

(...)


Katya: Sometimes, even if you have the keys those doors still can't be opened. Can they?
Jeremy: Even if the door is open, the person you're looking for may not be there.

(...)

Elizabeth:
It took me nearly a year to get here. It wasn't so hard to cross that street after all, it all depends on who's waiting for you on the other side.

My Blueberry nights (2007)

P.S. Qualquer semelhança com a realidade é pura ficção! Completamente atordoada. Histórias de vida ... a procura do amor... portas que não se abrem...




segunda-feira, maio 05, 2008

The world through you





You don’t understand me now, I wonder if you ever will, I wonder if you’ll ever try. Don’t get sad about, All the strange thing I wrote, They faded as the ink dried…So I say go, go, hold your fists high, Grow, slow, stand in for the fight,

Though I hope you never have to. So I say run, run, sparkling light, Have your fun and then come home at night, I’m sure you’ll tell me something new, Yeah I can see the world through you.

Frozen lakes and night storms,
Most you’ll cross on your own, You’ll face the biggest landslides.

I’ll catch you on the hardest falls, I’ll carry you inside this walls, We’ll sing through all the highest times.


I see the world through you
David Fonseca


David Boy Rules






Tonight I feel it closer
And i can almost touch it
To you this may be nothing,
It's something to me
This raging light
(The Raging Light)

I came in here just for the music
for all the things that it makes me feel
I came to exorcise my demons
to bury those days when only pain was real

treat me right
my dreams will come true tonight
come with me
set me free
we'll be alright
(The 8O'S)


You locked up your heart
You wake up with tears and stars in your eyes
You gave it all to someone that
Cannot love you back

Your days are packed
With wishes and hopes for the love that you\'ve got
You waste it all to someone that
Cannot love you back
(Someone that cannot love)

And I think it's gonna be a long, long, time
'Til touchdown brings me 'round again to find
I'm not the man they think I am at home
(Rocket Man)


Kiss me, oh kiss me,
If that can make it right.
Try me, find me,
Just throw them on me…
Those failed expectations…
Floods and afflictions you’re through.
Cause I just might, take them home with me.
(Kiss me, Oh kiss me)

This fear tentation
Im sure there's something over there
And I feel I can hardly wait
(This wind temptation)



David Fonseca, Coimbra: Queima 2008.


terça-feira, abril 29, 2008

Dói-me




Dói-me a vida. Doí-me a morte e o sofrimento. Mas hoje doí-me essencialmente a não-vida. Diriam os mais optimistas que é mentira, tens amigos, família, saúde, o que mais podes querer? Eu diria que queria crer. Quero a fórmula do optimismo por favor, se não for possível e já estiver esgotado...pronto forneçam-me apenas a fórmula do bem-estar, do distanciamento, de algo que me amenize esta turbulência e não me faça aterrar do pior modo possível. Que rídiculo isso eu também não quero, tenho medo ... aterroriza-me pensar sequer em tornar-me uma pessoa amarga e fria. Aterroriza-me aquele role model com que a vida me obriga a conviver todos os dias. É odioso o que o barulho de uns saltos autoritários fazem ao estado de alerta das pessoas. Isso, ignora-me, faz de conta que nesta semana eu não existo. É que esta semana existes aqui, para a semana já não, leis de um ciclo vicioso cheio de caprichos. Quando surgem as oportunidades e elas podem ser criadas passo atrás. Para que viver segundos que podem causar dias a fio de sofrimento, para quê negar. Para quê acreditar ... para quê sobreviver? Para quê viver o momento? Para quê fazer planos? Porque sim, planificação é precisa, não para todos mas eu preciso. Preciso que entendam que é preciso estrutura, fundamentação, preparação, registo, memórias... coisa de educóloga metódica e pessoa com historial de vida no minimo irónico. Existe a célebre frase a vida é o que acontece enquanto fazes planos, mas eu acrescento que a vida não é aleatória fazes escolhas, escolhes direcções, segues instintos é uma fusão de acontecimentos espontâneos e reflectidos. A vida de uma forma ou de outra acontece... e mais uma vez se coloca a questão de que caminho seguir o racional ou o emocional? Parece tão simples, como a última peça de um puzzle à espera de ser colocada no local certo.


P.S. Too much information... The system will shut down ... temporarily unavailable! Reboot? No! Sleep.


terça-feira, abril 22, 2008

Pelo poder cósmico da Lua...




...esperam-se uns pózinhos de perlimpimpim...







Sonhar não custa!

Tale about the Cat and the Moon



Pedro Serrazina, 1994


And I wait... Nothing else matters!!!



domingo, abril 20, 2008

[ECO]cardiograma








A vida é demasiado curta para ser insignificante!



terça-feira, abril 15, 2008

Coração sem imagens





Deito fora as imagens, Sem ti para que me servem as imagens? Preciso habituar-me a substituir-te pelo vento, que está em toda a parte e cuja direcção é igualmente passageira e verídica. Preciso habituar-me ao eco dos teus passos numa casa deserta, ao trémulo vigor de todos os teus gestos invisíveis, à canção que tu cantas e que mais ninguém ouve a não ser eu. Serei feliz sem as imagens. As imagens não dão felicidade a ninguém. Era mais difícil perder-te, e, no entanto, perdi-te. Era mais difícil inventar-te, e eu te inventei. Posso passar sem as imagens assim como posso passar sem ti. E hei-de ser feliz ainda que isso não seja ser feliz.

Raul de Carvalh
o





Frozen





Quando me faltam as palavras...
Ou a capacidade de expressar o que sinto/vivencio
Sei que já estou fora de mim, sei que já ultrapassei os meus limites
Que nem mesmo a melhor de todas as terapias .... já me apazigua!



quinta-feira, abril 03, 2008

Salsugem






Inclino-me de novo para o pano deste século.. recomeço a bordar ou a dormir tanto faz ... sempre tive dúvidas de que alguma vez me visite a felicidade.

Al Berto


Ramificações floridas...



Nos dias de rotina que passam nem sempre
se repara no que de bonito vemos todos os dias.




Pela manhã na caminhada até ao trabalho ...



Pela tarde na caminhada de volta para casa...


Uma simples àrvore florida serve como inspiração para o primeiro e último sorriso do dia. Existirá melhor aprendizagem e exemplo de vida do que acompanhar o desenvolvimento de uma àrvore? As raizes bem assentes e os braços-ramificações erguidas para o céu suportando as folhas, as flores e os frutos e as estações sucessivas ano após ano.


quarta-feira, abril 02, 2008

Da sabedoria dos antigos...





Espera o melhor, prepara-te para o pior e aceita o que vier.

Provérbio Chinês


Existe um certo tipo de espera em que estamos a caminho... na incerteza esperamos esperançosamente pelo melhor, convencemo-nos psicologicamente esperando o pior e finalmente sabemos que teremos que aceitar e sobreviver ao que vier. E quando decorrem anos a fio ? O que nos poderá ajudar a preparar para o pior? Quando já não acreditamos no melhor e resistimos em aceitar o que vier.


domingo, março 09, 2008

El retiro







Até ao final do ano... preciso de voltar a este local mágico.

Hoje não pensei noutra coisa.




segunda-feira, março 03, 2008

Ladybugs...



"Listen,
when I was a little girl,



I used to spend hours
looking for ladybugs.



Finally, I'd just give up
and fall asleep in the grass.



When I woke up,
they were crawling all over me."



Under the Tuscan Sun, 2003



Under the Tuscan Sun






"Between Austria and Italy, there is a section of the Alps called the Semmering. It is an impossibly steep, very high part of the mountains. They built a train track over these Alps to connect Vienna and Venice. They built these tracks even before there was a train in existence that could make the trip. They built it because they knew some day, the train would come."




I must go forward ...

the train will come!



terça-feira, fevereiro 26, 2008

Vou, avanço e regresso!






"Vou. Avanço, avanço e regresso. E cada quilómetro um mês, e cada metro um dia. Avanço para o que fomos. Encontrei nas pedras deste caminho, no luminescente desta viagem , um espaço por onde entrei e acelero, onde cada quilómetro em frente é um mês que recuo. E avanço neste caminho que ficámos mil vezes juntos e avançam as estações do ano: primavera inverno outono verão primavera inverno... E avançam os quilómetros neste sítio onde entro como se caisse vertiginosamente. Atiro-me neste poço, no fundo que não se vê deste poço. E há tanta luz. Há os instantes que vivemos mil vezes juntos e que agora nascem sem nós e nos ultrapassam. Há o sol que partilhámos mil vezes e que agora não te aquece, que agora não me aquece."


José Luís Peixoto, Morreste-me



domingo, fevereiro 24, 2008

Light





"Love is not consolation. It is light."


Nietzche



quarta-feira, fevereiro 20, 2008

Meu coração tardou





Meu coração tardou. Meu coração
Talvez se houvesse amor nunca tardasse;
Mas, visto que, se o houve, houve em vão,
Tanto faz que o amor houvesse ou não.
Tardou. Antes, de inútil, acabasse.

Meu coração postiço e contrafeito
Finge-se meu. Se o amor o houvesse tido,
Talvez, num rasgo natural de eleito,
Seu próprio ser do nada houvesse feito,
E a sua própria essência conseguido.

Mas não. Nunca nem eu nem coração
Fomos mais que um vestígio de passagem
Entre um anseio vão e um sonho vão.
Parceiros em prestidigitação,
Caímos ambos pelo alçapão.
Foi esta a nossa vida e a nossa viagem.

Fernando Pessoa


quinta-feira, fevereiro 14, 2008

Tréguas





Hoje é dia de acenar um lenço branco à vida.

Paz!


quarta-feira, fevereiro 13, 2008

Hands of time



R. Kely, Turn back the hands of time



Back to the beginning (un)fortunately is not possible!



terça-feira, fevereiro 12, 2008





Diálogo mais profundo da semana:


Ele:
Chamaste?

Ela: Não, estou só a sofrer.


Nú e cru. Sem artíficios, as frases mais espontâneas, simples e profundas da semana. O discurso alheio num perfeito encaixe e vivência. Eles não sabem, não perceberam o significado mas perfurou-me que nem uma flecha. Zás!

isso.


Post Scriptum: Ironia era na mesma semana informarem-me que existem 2 livros de uma psicologa [María de Jesús Reyes] um intitulado de "A inutilidade do sofrimento" e outro "A arte de não destruir a sua própria vida". E agora eu pergunto ? Porque será que me dão esta informação espontâneamente não bastou um título, foram logo dois belíssimos. Não?! Não aconteceu... Não pode .. seria pura ironia.




domingo, fevereiro 10, 2008

Talvez...



Vieste e foste,

ignoro se poderás voltar. Ontem, ao partires,

não reparaste que me deixavas menos feliz. Embora

tudo ficasse feito e decidido não sei que incompletude me

abalou – talvez a espera.

Perdi-me absurdamente no caminho e, por momentos,

a luz libidinal do teu pensamento

fugiu de mim. As coisas deixaram

a concretude com que sempre as tinha conhecido.

Sem perspectiva, nem letra.

Ao regressar à terra, não quis escrever no teu caderno.

Arranquei-lhe apenas esta folha. Fui um pobre corpo.

Rasguei-me a mim próprio e quis deitar-me fora.

Por isso te deixo este bilhete.

Vieste e foste.


Não foi por isso que te amei menos.



Maria Gabriela Llansol